terça-feira, 19 de maio de 2009

Profissão: Mãe.

Hoje uma amiga minha (Márcia do Mamma Coelha) postou numa comunidade do Orkut um link para uma matéria super bacana com a atriz Maria Mariana. A matéria, da jornalista Ariane Abdallah para a Revista TPM, conta como Maria Mariana passou de adolesceste ícone de uma geração para mãe de família. Uma entrevista super bacana que vale a pena conferir (clique aqui e leia na íntegra). A entrevista me lembrou de um assunto que mexe comigo há tempos e nunca dá certo de vir aqui falar a respeito.

Desde que tive meu primeiro filho, o Marcelo (hoje com 5 anos), carrego comigo uma dúvida. Será que tomei a decisão certa, abrindo mão da minha carreira, minha profissão, para cuidar de minha família? Nunca me arrependi de tê-la feito, mas a dúvida sempre me seguiu. Quando estava apta para retomar minha vida profissional, veio uma nova gravidez. Da mesma forma, não hesitei em abrir mão de tudo para ficar perto da Lara. Hoje, felizmente, posso trabalhar e acompanhar a rotina de meus filhos de perto. Isso me garante enorme satisfação. Entretanto, vejo o calvário de muitas mães nos últimos dias de licença maternidade sem saber para que lado correr. A grande maioria delas, assim como eu, tem optado por abrir mão de suas profissões para serem mães em tempo integral.

Em tempos de pai jogando filha pela janela, bandido arrastando criança presa na porta do carro, deputado enchendo a cara e atropelando jovens inocentes, como fica o papel da mãe?

Será que sociedade não está subestimando o que eu chamaria de "a profissão mais importante do mundo"?

Cada um de nós é responsável pelas pessoas que deixaremos neste mundo. Cada criança que está hoje sob nossa tutela, muito em breve estará conduzindo a sociedade. Para o bem ou para o mau.

Vejam, não estou fazendo uma crítica as mães que não abriram mão de seus trabalhos para cuidar dos filhos. Mesmo porque, mães que trabalham fora, atuam em jornada dupla de trabalho: o de profissional fora de casa e o de mãe quando chega em casa. O que eu gostaria de fazer aqui é chamar a atenção para que as mães que deixaram tudo de lado para serem mães em tempo integral, sejam respeitadas. Maria Mariana relata em sua entrevista:

Senti muito preconceito e pressão. Ninguém entendeu muito, né? As pessoas olhavam pra mim meio preocupadas. “Será que é o marido que está obrigando?” “Será que está deprimida?” “Mas ela vai ter outro filho?” [Risos]. Ser mãe é um trabalho que está desmoralizado. O pior é que a desvalorização vem de dentro das próprias mulheres, porque a pressão é tanta de querer estar sempre linda, bem resolvida, ganhando dinheiro, vivendo a vida de forma tão materialista, que você pensa: “Será que estou fazendo a coisa certa?”.

Para concluir, deixo um convite a reflexão. Antes de criticar uma mulher que largou tudo para ser mãe, pense no trabalho que ela está exercendo.


"Não consigo ver trabalho mais importante do que colocar na sociedade, daqui a 20 anos, pessoas equilibradas emocionalmente, capazes de administrar as próprias emoções, de caráter firme." Maria Marina

2 comentários:

Aninha disse...

Halini MILLLLL desculpas,eu realmente tinha entendido que ela estava fazendo,não só vou corrigir o post,mas falar nesse proximo tb ok???
E claro aproveitando,suas coisas são LINDAS!!!!!
abçs e desculpas novamente

Halini, mãe do Marcelo (5 anos) e da Lara (1 ano). disse...

Oi Ana!
Obrigada!
Bjo grande!